Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Amor às Kuartas

Aqui fala-se de amor às quartas-feiras

Aqui fala-se de amor às quartas-feiras

Amor às Kuartas

26
Abr17

A quinta

Kalila

images casamento pixabay desenho.jpg

 

Uma flor delicada ondeava ao vento espreitando as visitas por cima do muro. Duvidava-se que a campainha tocasse algures, tal era o ar ferrugento do dispositivo. Mas tocou. E apareceu um sujeito de meia idade que abriu os portões. 

Os sorrisos da praxe depois de estacionar, os portões encerrados de novo, o sujeito de meia idade quase aos pulinhos para ser encantador, um cão rafeiro de ar simpático a cheirar os sapatos e estava perspetivada mais uma linha da lista de quintas para o casamento. Era a única que não tinha fotos na publicidade, a não ser daquela entrada algo majestosa, por isso era um verdadeiro mistério para os noivinhos. Talvez até fosse esse o motivo do menor enfado do Pedro. Até aí tinha visto tudo quase contrariado, sem grande atenção a nada, apenas presente porque a isso se sentia obrigado. Era o seu casamento mas porque raio tinha que dividir a sua já tão pouca paciência por tantas opções de escolha?

Nada a fazer! Eliana era mesmo assim em tudo, inconformada, insatisfeita, extremamente difícil de contentar, sempre múltipla de possibilidades e alternativas.

O senhor da quinta revezava-se de gentilezas e objetividades, com um álbum enorme de casamentos e festas ali efetivados enquanto ia mostrando as salas, as eventuais decorações, os pátios, os jardins, uma panóplia de possibilidades de acompanhamentos musicais e uma imensidade de menus, tipos de loiça e outras especificidades.

Eliana ia tentando absorver toda a informação, Pedro perdera-se já numa das salas que mantinha ainda a decoração do último evento: balões, borboletas e pássaros de papel a saírem de algo a imitar fogo. Achou estranho, perguntou:

- Foi uma festa infantil?

O senhor da quinta desequilibrou-se no meio daquela espécie de saltitar, rodou sobre um dos calcanhares, puxou a porta da sala, tossicou, levou a mão aos cabelos, coçou o queixo e tentando sorrir naturalmente disse:

- Não, não fazemos festas infantis. Foi outro tipo de comemoração... um divórcio. Fomos inovadores nesta área e temos tido muita procura...  

(imagem Pixabay)

aniv006.gif

borbo031.gif

FENIX TEKA 20.gif

 

  

 

 

 

                                                                                                                                                                                              

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D